quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

*PARABENS FILHINHA ADORADA!* (OFERECO-TE AQUI UM POEMA DA TIA******)






*POEMA DE ANA VASSALO*

LIBERDADE


Somos força a acontecer
a liberdade aspirada
que vive em nós como o ar
senhora do sangue a morada

E somos leves nas trocas
de um corpo sem amanhã
que mesmo quando sucumbe
se liberta enfim do nada

Somos mar em enseada
no repouso de voltar
ou uma asa que não rima
voz do grito com luar

E é livre o pensamento
em correria largada
ao tempo aberto que ensina
dos finais que há na chegada

Somos jangada e deriva
na solidão alcançada
no céu pesado de chuva
ou namoro de alvorada

E somos escolha em coragem
ou cobardes na indiferença
fracos, valentes, pancada,
deserto, paz ou sentença

Somos de nós uma agenda
de eventos por decidir:
no trilho o pó da jornada
na alma o sol da emenda

Liberdade é sombra andada
da consciência que vence
a cada passo acertada
p'lo norte que nos pertence


*Ana Vassalo*
*******************
**************************NUM MESMO ABRACO ENVOLVO MINHA IRMAZINHA E MINHA FILHINHA QUE HOJE E' ANIVERSARIANTE E PARA QUEM DESEJO UM MUNDO DE COISAS_UM MUNDO BOM_!

BEIJINHOSSSSSSSSSSSSSS!!!!!!!

Me.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

*BUSCO UMA PALAVRA*



[SERIE DE POEMAS CURTOS]

Eu busco uma palavra
E me apoio na imagem,
Tentando aligeirar a tarefa
E ter eficaz sucesso na sondagem.


A imagem propoe-se a ajudar
Em tal estranha pesquisagem;
Trazendo ao meu vocabulario
O Vocabulo salvador
Que sirva de panaceia para acalmar
E, a um tempo, dar VOZ a minha DOR.


_TENHO SERIAS DUVIDAS NA EFICACIA DO PROCESSO
QUE SE ME AFIGURA ADVERSO E DESTINADO AO INSUCESSO_!


Heloisa B.P.
20/02/11
Bath/Paulton
............

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

*VELAS (QUE VELAM!)*




Van Gogh Peasant Sitting at a Table
& Toulouse-Lautrec - The Hangover - (Suzanne Valadon) - 1888



*************




Velas iluminam docemente
Cristais e porcelanas
Nas mesas de tanta gente.


Porem, ha' tantas mesas toscas e obscuras:
Sem velas,sem pratos,sem copos, mesmo em aluminio;
Apenas, um naco de pao e uma garrafa de vinho.
La'fora, vive a palida lua dando luz a noite escura.


Paira no ar um senso, um olor a diferenca
Entre as mesas iluminadas, quentes, adornadas...
E, aquelas onde e' sempre inverno,faz sempre frio!


_Nao ha' jantar!Ha', tao somente, um naco de pao seco
E a presenca das sombras, sentadas a mesa do vazio!_

Heloisa B.P.
13/02/11
[Bath/Paulton]

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

*VIVA UM DIA A RECORDAR*! PARABENS AMIGO AUGUSTO*!




SEM MAIS DELONGAS, DEIXO-LHE AQUI ESTE PEQUENO APONTAMENTO "PROSEMICO"...
COM UM QUAL PRETENDO QUE CHEGUE ATE' SI* O MEU ABRACO DE PARABENS********!

(isto e' uma repeticao do que lhe deixei tambem no Multiply, embora pense que o AMIGO perdeu a chave do SEU!)

MUITOS PARABENS, MEU AMIGO E UM MUNDO DE FELICIDADES PRESENTES E FUTURAS!

ABRACOS.

Heloisa

[CREIO QUE UMA BOA FORMA DE SE HOMENAGEAR UM AMIGO* E', TAMBEM, DAR A CONHECER A SUA OBRA***** (ja' o tenho feito varias vezes e aqui fica a FOTO DA CAPA DO ULTIMO LIVRO DE MEU (e de MUITOS DE NOS) AMIGO AUGUSTO DIAS*!]

////////

AMIZADE, e' a rainha dos afectos.

Ultimo dos sentimentos a fenecer;

Gentileza,sorrisos e ombro, ELA ama oferecer.

Um AMIGO e' um SOL de "bracos abertos"

Sempre de coracao e ouvidos prontos a escutar.

Tem paciencia, tem docura, mas...tem tambem, sincera,

Ousada,e...quica'dura,palavra indutiva da VERDADE!



(Assim, em cima do joelho; para SI* meu AMIGO AUGUSTO*!)

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

*PEDRAS*



As cidades e as pedras.

Pedras testemunham vidas,
Que pisaram as pedras
Sem perceberem que as pedras
Viam os passos dados pelos vivos,
Que sempre supoem
Estarem as pedras inanimadas
E, da vida privadas.


PEDRAS SAO TESTEMUNHAS
DO TEU E DO MEU PASSAR:
VEEM,ESCUTAM E SENTEM,
OS CORACOES BATER, OS PES A ELAS CALCAR.

_PEDRAS, QUE FORRAM AS CIDADES
E...COBREM OS QUE VIVOS FORAM, UM DIA!...

_AS PEDRAS CONTAM A HISTORIA DAS CIDADES E...DOS SEUS FANTASMAS!


Heloisa B.P.

Bath/Paulton

04/02/11
(21:40)
.........

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

*E...FEVEREIRO CHEGOU*




Nunca morri de amores por Fevereiro, nem sei bem porque. Contudo, tinha boas razoes para gostar, ja' que em FEVEREIRO nasceu minha AMADA FILHINHA que parecia um botaozinho de rosa_cor-de-rosa_, mesmo!

Os pouquissimos pacientes AMIGOS que ainda me leem, ja' repararam que eu tenho uma especial predilacao pelo *TEMPO*! Eu e o dito temos assim uma relacao de amor/odio muito peculiar. Amo-O porque ele me diverte, me faz falta e me faz sentir viva. Detesto-O, porque ele me "obriga" a ouvir o tic-tac dos relogios, que, tantas vezes, sao dissonantes do "tic-tac do meu coracao"! Entao, forma-se assim uma especie de sinfonia desafinada, cujo maestro perdeu a batuta e nao se sabe servir das maos, nem dos olhos!...Os musicos, ficam indecisos entre a pauta e a mao do maestro_E' UMA "DESORQUESTACAO"_!

Pois e'! eu andava as voltas com o Natal, quando ainda nao tinha deglotido o Bolo Rei nem feito a digestao do bacalhau, eis que surge o ANO NOVO!_TEMPO DE MUDANCA DOS NUMEROS DO TEMPO_! Hora de mudanca de sonhos!_ Temos sempre SONHOS NOVOS PARA O ANO NOVO, pese embora nunca se tenham tornado realidade os sonhos do ano velho_COITADINHO, JA' NEM TEM DIREITO A MAIUSCULA LETRA!...

Entao, o JANEIRo que se apresenta, sempre, como o mes simbolo da promessa, passou mesmo depressa e... passou a pasta dos sonhos a realizar, para o FEVEREIRO! Mas... Fevereiro e' lento, curto e escassamente criativo; pese embora, o CARNAVAL!_Por isso mesmo, me ocorre que viver no TEMPO, por ele comandado, nao passa de um atentado ao SER e, nao passa de um grande Carnaval onde o ENTRUDO ira' morrer e enterrado ser_TAL QUAL OS SONHOS DO *ANO PASSADO*_!
.........

E... pronto, por hoje!_ Cumprida e'a minha "auto-promessa" de "atazanar" o TEMPO IMPERADOR; e... nao lhe dar tempo para se rir da minha DOR e, da minha escassez de TEMPO!!
............

Heloisa B.P.
em Bath/Paulton
02/02/11 as 22:30.
...................